Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria de Trabalho, Emprego e Renda
Início do conteúdo

Novos valores do seguro-desemprego vão de R$ 1.212,00 a R$ 2.106,08

Publicação:

Divulgação FGTAS
Divulgação FGTAS

O benefício do seguro-desemprego teve seus valores atualizados. Os novos valores vão de R$ 1.212,00 a R$ 2.106,08. A atualização na tabela de cálculo das parcelas foi realizada pelo Ministério do Trabalho e Previdência e tem vigência a partir do dia 11 de janeiro de 2022:

- Faixas de salário médio de até R$ 1.858,17: multiplica-se o salário médio por 0,8

- de R$ 1.858,18 até R$ 3.097,26: o que exceder a R$ 1.858,17 multiplica-se por 0,5 e soma-se com R$ 1.486,53

- acima de R$ 3.097,26: o valor será invariavelmente de R$ 2.106,08

A atualização das faixas salariais foi realizada com base no número índice do INPC do ano de 2021 (Índice Nacional de Preços ao consumidor – INPC) calculado e divulgado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, que foi de 10,16%.

A medida está de acordo com a Lei nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa do Seguro-Desemprego, bem como no texto da Resolução nº 707, de 10 de janeiro de 2013, do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT. O seguro-desemprego é um auxílio financeiro temporário concedido ao trabalhador desempregado demitido sem justa causa.

O benefício pode ser solicitado, presencialmente, na Agência FGTAS/Sine mais próxima ou por meio do aplicativo Carteira de Trabalho Digital ou do portal www.gov.br.

Perfil do trabalhador desempregado

Em 2021, 346.014 trabalhadores solicitaram o seguro-desemprego no RS. Desse total, 53,2% das requisições foram feitas pela internet e 46,8%, presencialmente. Ainda, 56,1% dos requerentes eram do gênero masculino e 43,9%, feminino.
Com relação à faixa etária, 31,9% possuíam entre 30 e 39 anos; 20%, de 40 a 49 anos; 18,9%, de 25 a 29 anos; 18,4%, de 18 a 24 anos; e 10,3%, de 50 a 64 anos. No que tange à escolaridade, 53,3% tinham Ensino Médio completo e 12,7%, Fundamental completo.
Já sobre o setor econômico em que atuavam, 34,7% trabalhavam no setor de serviços; 28,7%, no comércio; 24,3%, na indústria; 8,2%, na construção e 4,1%, na agropecuária. A remuneração da maior parte dos requerentes variava de 1 a 1,5 salários mínimos (36,1%); de 1,5 a 2 (29,6%) e de 2 a 3 (17,1%).
Ao todo, em 2021, foram pagos R$ 1.579.725.602 em seguro-desemprego no RS. O valor médio das parcelas era de R$ 1.407,29.

Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social