Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

FGTAS contabiliza mais de 1 milhão de atendimentos prestados ao povo gaúcho em 2019

Publicação:

Divulgação FGTAS
Divulgação FGTAS

A Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS), através das Agências FGTAS/Sine, contabilizou 1.262.499 atendimentos prestados à população em 2019 em todo o estado. A instituição é a executora das políticas públicas de trabalho, emprego e desenvolvimento social do RS. Está vinculada à Secretaria Estadual de Trabalho e Assistência Social e é responsável pelo desenvolvimento do Sistema Nacional de Emprego no RS, do Programa Gaúcho do Artesanato e do Vida Centro Humanístico.

Investimentos e economias

De acordo com o diretor-presidente da FGTAS, Rogério Grade, a instituição investiu na infraestrutura e na tecnologia da informação das Agências FGTAS/Sine para melhor atender aos trabalhadores e gerar economia aos cofres públicos em 2019.

No período, foi contratada uma empresa para instalação de condicionadores de ar nas Agências FGTAS/Sine de Caçapava do Sul, Cachoeira do Sul, Santo Ângelo e São Borja e adquiridos 120 computadores novos para as Agências de Bagé, Santa Rosa, Santo Ângelo, Candiota, Dom Pedrito, Lagoa Vermelha, Marau, Pelotas, Rio Grande, Santana do Livramento, Santiago, São Borja, Torres, Uruguaiana e Vacaria, além de recebida a doação da Procuradoria-Geral do Estado do RS de 20 computadores para a sede, o Programa Gaúcho do Artesanato (PGA) e o Vida Centro Humanístico.

Ainda, em 2019, a FGTAS registrou economia de 63,7% com aquisições de materiais e de passagens aéreas em comparação ao ano anterior. Em 2019, foram gastos R$ 163.246,48 com aquisições, enquanto em 2018 esses gastos chegaram a R$ 450.822,66.

Também foram negociados os valores dos contratos de locação dos imóveis que sediam as Agências FGTAS/Sine de Osório e Centro de Porto Alegre. As unidades de Cachoeira do Sul, Caçapava do Sul, Santana do Livramento, Torres, Arroio do Meio, Estrela, Esteio, Palmeira das Missões, Sarandi, São Francisco de Assis, São Lourenço do Sul, São José do Norte e Uruguaiana passaram a ocupar imóveis públicos de propriedade do Estado ou de Prefeitura Municipal. Já as Agências FGTAS/Sine de Novo Hamburgo, Gravataí e Canguçu passaram a compartilhar o imóvel que sedia outros órgãos públicos como a Emater e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-RS) e as prefeituras municipais de Arroio dos Ratos, Gramado e Três Passos assumiram os valores locatícios dos imóveis que sediam as unidades em suas respectivas cidades. Todas essas ações contabilizaram uma economia de R$ 317.858,23 com locação de imóveis.

Sine

O Sistema Nacional de Emprego é operacionalizado nas Agências FGTAS/Sine e envolve os serviços de intermediação de mão de obra, seguro-desemprego, geração e análise de informações sobre o mercado de trabalho, projetos de emprego e renda e qualificação profissional.

A FGTAS trabalha com ênfase na geração de emprego e renda no Rio Grande do Sul, nesse sentido, a intermediação de mão de obra é o principal serviço oferecido pela instituição, através de 152 Agências FGTAS/Sine sediadas em 148 cidades gaúchas. Desse total, 131 Agências FGTAS/Sine estão interligadas ao Sistema Emprega Brasil e as outras 21 unidades consistem em Balcão Cidadão. As cidades que não dispõem de uma unidade da FGTAS contam com o Sine Móvel, que leva orientação e o serviço de encaminhamento para vagas de emprego à população em ações de promoção da cidadania. De janeiro a novembro de 2019, as Agências FGTAS/Sine prestaram 1.184.675 atendimentos.

Eventos de empregabilidade

A Fundação realiza eventos que promovem a empregabilidade no estado, como o EmpregarRS, a Ação Mulher, a Ação Mês do Trabalho, a Ação Jovem e a Ação PcD – dia da inclusão social e profissional das pessoas com deficiência e dos beneficiários reabilitados do INSS. São eventos dedicado à inserção de trabalhadores no mundo do trabalho, que oferecem o serviço de intermediação de mão de obra e atividades de orientação profissional.

O EmpregarRS, por exemplo, é o maior evento de empregabilidade do estado. Realizado anualmente desde 2015 pela FGTAS, prestou 83.706 atendimentos, encaminhou mais de 43 mil trabalhadores e colocou mais de 4,6 mil trabalhadores no mundo do trabalho nas primeiras cinco edições.

Confira, a seguir, a tabela com os dados de atendimentos dos eventos realizados pela FGTAS:

Eventos

Nº de atendimentos prestados em 2019

Ação PcD

1.003

EmpregarRS – 6ª edição

10.818

Ação Mulher

1.500

Ação Jovem

2.479

Ação Mês do Trabalho

7.404

A FGTAS também participou de eventos promovidos por outras instituições como a 14ª Feira das Oportunidades do Senac e as Feiras de Aprendizagem Profissional de Porto Alegre e da Serra Gaúcha da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do RS (SRTE-RS).

Qualificação profissional

Em 2019, foram promovidas três edições do curso de Qualificação em Telemarketing, que reuniram 54 participantes, em Porto Alegre. O objetivo do curso era a formação e o desenvolvimento de operadores de call center com conhecimentos e habilidades voltadas para o sucesso de suas operações. Entre os temas abordados estavam prospecção e vendas, atendimento/SAC e negociação e cobrança.

Já na Região Metropolitana da capital, a FGTAS, através da Agência FGTAS/Sine de Canoas, em parceria com o Centro Universitário La Salle (Unilasalle) ofereceu atendimento psicossocial e qualificação profissional gratuitos para 308 trabalhadores em 2019. As atividades eram ministradas por acadêmicas de Psicologia e de Gestão de Recursos Humanos, além de uma mestranda em Educação do Unilasalle. Do total de participantes, 40,3% foram recolocados no mercado de trabalho.

Ainda, foram realizados os seguintes eventos: o 1º Seminário Trabalhador em Foco, em Balneário Pinhal; o Seminário Mundo do Trabalho, em São Leopoldo; a oficina Iniciação no mundo do trabalho e o projeto "Dia da Família na Escola", em Capão da Canoa; a oficina Empreendedora e “Currículos e entrevista de emprego sob o olhar empresarial: o que as empresas buscam?”, em Santiago; o Seminário Trabalhador em Foco e o Café com Networking, em Bagé; e as oficinas “Você sabe o que se deve cuidar numa entrevista para emprego” e “Marketing pessoal numa entrevista para emprego”, em Canoas.

Sine na Escola

Ao longo de 2019, foram promovidos 48 eventos de orientação sobre o mundo do trabalho em 21 municípios para 1.538 jovens. Entre as cidades beneficiadas pelas atividades estavam Pelotas, Bagé, Torres, Cachoeirinha, Rio Grande, Guaíba, Capão da Canoa e Porto Alegre.

O projeto Sine na Escola insere-se no programa prioritário da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (STAS) “Tô Ligado – Conectando Trajetórias, que objetiva a proteção social de adolescentes e jovens da rede socioassistencial, com foco no risco de abandono e evasão escolar, a prevenção de situações de violência, a potencialização da inserção no mundo do trabalho e a qualificação profissional. É executado de forma integrada com o programa RS Seguro, que tem a finalidade de combater o crime e promover a qualificação do atendimento ao cidadão e do sistema prisional. A FGTAS insere-se no eixo social do RS Seguro e é responsável pela prestação de serviços, através do Sine Móvel, e pelo desenvolvimento de atividades de orientação sobre o primeiro emprego e o empreendedorismo.

Carteira de Trabalho

As Agências FGTAS/Sine encaminharam solicitações de Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) impressa para a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-RS) até o dia 13 de dezembro de 2019. De janeiro a novembro de 2019, foram encaminhados 165.855 pedidos de confecção do documento em papel.

Desde o dia 16 de dezembro, os trabalhadores têm acesso somente à versão digital do documento. São encaminhadas Carteiras físicas apenas para trabalhadores contratados por microempreendedores individuais até janeiro de 2020 e órgãos públicos e organizações internacionais até abril de 2020, conforme prazo de obrigatoriedade do eSocial.

Vida Centro Humanístico

O Vida Centro Humanístico contabilizou 89.320 atendimentos prestados em 2019. Juntamente com entidades parceiras, proporciona ações e serviços de cidadania, saúde, trabalho, lazer, educação, esporte e cultura na Zona Norte de Porto Alegre.

O destaque é o Programa de Atendimento à Terceira Idade (Pati), que envolve um espaço de convivência e de fortalecimento da cidadania, através de atividades culturais, esportivas, artísticas, de promoção da saúde, educativas e de lazer, com o apoio de uma equipe multidisciplinar. Em 2019, o Pati ofereceu atividades como ginástica, palestras, jogo de bocha, prática de coral, além de oficinas de artes, de alfabetização e de trabalhos manuais.

O espaço também dispõe de recreação, ginástica rítmica, judô, futsal, vôlei, basquete, ginástica localizada, curso de informática para adultos; além de oficinas de origami, canto, instrumentos musicais, artes e matemática, acervo de jornais e revistas e acesso à internet gratuito. O Vida também sedia a Agência FGTAS/Sine Zona Norte de Porto Alegre, que oferece os serviços de intermediação de mão de obra e de encaminhamento de seguro-desemprego.

Programa Gaúcho do Artesanato

O PGA incentiva a profissionalização do artesão com ações de formação, qualificação e apoio à comercialização da produção artesanal gaúcha. Ao todo, conta com 56.496 artesãos ativos em todo o estado. Dispõe de 19 Casas de Artesão no RS, que são espaços de exposição e comercialização que servem como ponto de apoio e incentivo aos novos artesãos. Os municípios que sediam as Casas são Alegrete, Arroio Grande, Balneário Pinhal, Cacequi, Camaquã, Canoas, Carazinho, Caxias do Sul, Lajeado, Pelotas, Rio Grande, Santo Antônio da Patrulha, Santa Cruz do Sul, Santiago, São Leopoldo, São Luiz Gonzaga, Vacaria e Venâncio Aires.

A Casa do Artesão de Porto Alegre, por exemplo, qualificou 437 profissionais nos cursos de Pintura em tecido, Tecido patchwork, Bichos e bonecos, Entalhe em madeira, Fios tecelagem e Pintura em tela ministrados ao longo de 2019. No mesmo período, capacitou 716 profissionais em oficinas de artesanato. Entre os destaques estão as atividades realizadas com apenados do presídio de Montenegro, a produção e doação de naninhas para o Instituto do Câncer Infantil e a Ação Corrente do Bem, que envolveu a confecção e a doação de brinquedos pedagógicos artesanais como jogo da velha, cinco marias, dominó, naninhas e bonecas para instituições que atendem crianças em situação de vulnerabilidade social de 15 municípios gaúchos. Já no interior do estado, 119 profissionais participaram de cursos de artesanato oferecidos pelas Casas do Artesão de Santiago, Caxias do Sul, São Leopoldo e Canoas.

O Programa Gaúcho do Artesanato também é responsável pela emissão da Carteira de Artesão, que identifica o profissional de artesanato, viabiliza a isenção de ICMS dos produtos, a emissão de notas fiscais para livre circulação e a participação em exposições e feiras estaduais e nacionais.

Feiras

O PGA realiza, anualmente, a maior feira de artesanato do Estado: a Expoargs. A última edição da Exposição de Artesanato do Rio Grande do Sul (Expoargs) ocorreu de 24 de agosto a 1º de setembro de 2019, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Ao todo, 184 artesãos de 52 municípios comercializaram seus produtos no evento, que contabilizou R$ 1.385.000 em vendas.

Outro evento de destaque é a Feira de Artesanato - Artesul que consta nos calendários de Eventos e Mensal de Atividades de Porto Alegre, por meio da Lei nº 12.458, de 26 de outubro de 2018. É promovida pelo PGA, anualmente, no mês de dezembro, no Largo Glênio Peres, na capital. A última edição, realizada de 9 a 14 de dezembro de 2019, contabilizou a venda de 13.885 peças artesanais, que somaram R$ 359.608,64.

No interior do estado, o PGA promove a Feira Estadual de Artesanato do Pampa. A última edição foi realizada, de 1º a 4 de agosto de 2019, em Bagé e registrou R$ 22.952,00 em vendas.

A nível nacional, o PGA participou, em 2019, da Fenearte, em Olinda/PE, e do Salão do Artesanato, em São Paulo/SP. Nesses eventos, foram contabilizadas vendas nos valores de R$ 138.765,00 e de R$ 75.800,00, respectivamente.

Seminário Regional de Artesanato e workshop Artesanato Bem-feito, Negócio Bem-Sucedido

Ainda, a FGTAS, através do Departamento de Promoção de Desenvolvimento Social (DPDS) e do PGA, promoveu 34 encontros do Seminário Regional de Artesanato – Artesão em Foco e do workshop Artesanato Bem-feito, Negócio Bem-Sucedido em 2019. Os eventos gratuitos de qualificação reuniram 2.161 participantes.

O objetivo do seminário era discutir a profissão de artesão, estimular a formação de grupos de produção, impulsionar a comercialização e contribuir para a qualificação, atualização e valorização do artesão e de sua produção. Ao todo, 1.299 artesãos participaram do seminário em 12 municípios gaúchos: Ijuí, Santa Maria, Santana do Livramento, Vera Cruz, Rio Grande, Bagé, Horizontina, Giruá, Travesseiro, Passo Fundo, Frederico Westphalen e Capão da Canoa.

Já o workshop ofereceu uma formação em gestão para 862 artesãos. O evento foi realizado em Capão da Canoa, Taquara e Canela. Entre os temas abordados estavam: participação em feiras, vitrinismo, atendimento, vendas, negociações e objeções, formação de preços, controle financeiro, prospecção de clientes, comunicação, marketing digital e tendências de consumo.

Ainda, um grupo de 15 artesãos de Capão da Canoa, Xangri-lá e Osório, que participou do workshop em Capão da Canoa, construiu uma parceria com uma loja de móveis de Porto Alegre para expor seus produtos no showroom da empresa, nos dias 19 e 20 de outubro. A exposição de artesanato foi denominada “Exposição Arte & Móveis”.

Metas para 2020

A FGTAS, através da Assessoria de Planejamento, tem como meta para 2020a captação de 80 mil vagas trabalho, o atendimento de 120.000 pessoas no Vida Centro Humanístico, a prestação de 1.290.000 atendimentos nas áreas de intermediação de mão de obra e de encaminhamento de seguro-desemprego e a qualificação de 3,5 mil artesãos.

Com relação ao programa prioritário da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (STAS) “Tô Ligado – Conectando Trajetórias”, está previstoo atendimento de 9 mil estudantes nas escolas, 1.350 trabalhadores por meio do Sine Móvel e 6,3 mil trabalhadores sobre formas alternativas de geração de trabalho e renda.

Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social